booked.net

Bolsonaro diz que não se vacinará nem após “último brasileiro”

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on email
Share on print
Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse, em entrevista à Jovem Pan, que decidiu não se vacinar contra a Covid-19. O chefe do Executivo nacional pode tomar o imunizante desde abril deste ano. Em diversas vezes, afirmou que receberia a proteção contra o coronavírus, que ceifou a vida de mais de 600 mil pessoas no Brasil, assim que o último brasileiro fosse vacinado.

“Eu decidi não tomar mais a vacina. Eu estou vendo novos estudos, a minha imunização está lá em cima, para que vou tomar a vacina? Seria a mesma coisa que você jogar R$ 10 na loteria para ganhar R$ 2. Não tem cabimento isso”, disse.

Como justificativa, Bolsonaro citou a liberdade. “Para mim, a liberdade acima de tudo. Se o cidadão não quer tomar a vacina, é um direito dele e ponto final”, assinalou durante o programa Pingos nos Is, da emissora, na noite de terça (12).

No começo de abril, assim que foi iniciada a vacinação para a faixa etária de Bolsonaro, o mandatário disse que pensaria se tomaria o imunizante. “Depois que o último brasileiro for vacinado, se estiver sobrando uma vacina, eu vou decidir se me vacino ou não. Esse é o exemplo que chefe tem que dar, igual no quartel”, disse o chefe do Executivo na ocasião.

Bolsonaro pode tomar a vacina desde o dia 3 de abril, que foi quando o governo do Distrito Federal começou a aplicar o imunizante em idosos a partir de 66 anos no DF. O presidente completou 66 anos em 21 de março.

*Com informações do Metrópoles 

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on email
Share on print

Siga-nos no Facebook

Publicidade

Últimas Notícias