booked.net

MPAM pede audiência para propor acordo processual no caso da terapeuta indiciada por maus-tratos

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on email
Share on print

*Da Redação – Dia a Dia Notícia

O Ministério Público do Amazonas (MPAM), por meio da 66ª Promotoria de Justiça, pediu uma audiência para transação penal com o intuito de promover um acordo no caso da primeira denúncia de crime de maus-tratos feito pela terapeuta Samia Patricia Riatto Watanabe contra uma criança autista de 8 anos, na clínica Speciale, em Manaus.

O caso foi denunciado pelos pais da criança ao 22º Distrito Integrado de Polícia, após descobrirem as agressões ao assistirem aos vídeos gravados pelas câmeras de segurança da clínica. Nas imagens é possível observar que Samia puxa o braço da criança, bate na cabeça do menino e o empurra.

Após repercussão da reportagem feita pelo Dia a Dia Notícia, várias outros pais e responsáveis descobriram que Samia Watanabe também maltratava seus pacientes durante as sessões. Os pais também registraram novas denúncias no 22º DIP.

Conforme o processo que tramita no Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), a manifestação da promotora de justiça Francilene Barroso da Silva foi dada no último dia 7 de outubro, onde descreve: “Este órgão requer a designação de audiência de transação penal, com a intimação pessoal da autora do fato e da vítima por intermédio de sua representante legal”.

A transação penal é acordo firmado entre o réu e o MP, no qual o acusado aceita cumprir pena antecipada de multa ou restrição de direitos e o processo é arquivado.

Consta ainda no processo, a certidão de antecedentes criminais que mostra que Samia Watanabe possui dois processos no TJAM. Um processo é referente à denúncia da criança de 8 anos e o outro é da clínica Speciale contra a terapeuta.

Manifestação

Durante manifestação realizada no último dia 8 no 22° Distrito Integrado de Polícia (DIP), dos pais – que têm filhos que fizeram tratamento com Samia, a advogada Simone Guerra, responsável por representar a clínica, relatou à imprensa que a terapeuta não era contratada da clínica e que prestava serviço em diversas outras clínicas.

 

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on email
Share on print

Siga-nos no Facebook

Publicidade

Últimas Notícias