Search
booked.net

Justiça nega pedido de Fiuk em processo movido por garçom de hotel

*Da Redação do Dia a Dia Notícia 

Durante uma estadia no hotel Sheraton, em 2011, Fiuk acusou um garçom de furtar seu celular. A polícia foi chamada, mas os oficiais não encontraram o aparelho nos pertences do profissional, que revolveu processar o cantor em 2014. Recentemente, o filho de Fábio Jr. sofreu a primeira derrota.

Fiuk teve o pedido para não informar o e-mail e telefone negado pela 8ª Vara Cível do Rio de Janeiro. O ex-BBB21 alegou ser uma figura pública e, por esse motivo, não poder ceder os dados.

O juiz Paulo Roberto Correa, responsável por analisar a solicitação, considerou que “a condição de artista do demandado não é, por si só, suficiente para que se modifique a regra inserta na cabeça do artigo 189 do Código de Processo Civil”. O artigo em questão alega que todos os processos, exceto aqueles que correm em segredo de justiça, são públicos. Para o juiz, a ação contra Fiuk não se encaixa nessas especificidades.

Entenda

Tudo aconteceu em 2011, quando o funcionário em questão foi chamado para esquentar uma comida do ator e retirar um carrinho de louça suja de seu quarto. De acordo com o garçom, poucas horas depois, Fiuk se dirigiu até a recepção e o acusou de furtar um celular.

A polícia foi chamada ao local, revistou o garçom, mas não encontrou nenhum aparelho em seus pertences. Como resultado, o profissional processou o filho de Fábio Jr. em 2014 e está pedindo R$ 30 mil em danos morais.

*As informações são do Metrópoles

Entre no nosso Grupo no WhatsApp

Antes de ir, que tal se atualizar com as notícias mais importantes do dia? Acesse o WhatsApp do Portal Dia a Dia Notícia e acompanhe o que está acontecendo no Amazonas e no mundo com apenas um clique

Você pode escolher qualquer um dos grupos, se um grupo tiver cheio, escolha outro grupo.